Impressoras 3D na construção civil: veja por que utilizar

As impressoras 3D chegaram para ficar. A cada dia que passa, o Brasil vivencia mais uma experiência com a tecnologia, como o desenvolvimento de próteses médicas e dentárias, peças automotivas e aeroespaciais, moldes e bens de consumo customizados e também com a fabricação de elementos para a construção civil.

Segundo dados de pesquisas, entre os anos de 2013 a 2017, a receita financeira gerada por meio da manufatura aditiva e impressão 3D apresentou um crescimento anual de 25%, o que é equivalente a US$ 7,3 bilhões.

A estimativa é que para os próximos anos o ritmo de expansão desse sistema produtivo se acelere ainda mais, gerando mais de US$ 20 bilhões em 2021.

Nesse sentido, o uso das impressoras 3D deve ser utilizado em diversos segmentos, como em montadoras, criação de protótipos, bem como em projeto estrutural de arquitetura, sendo possível transformar desenhos em modelos físicos.

O artigo de hoje vai mostrar como as impressoras 3D podem ser utilizadas na construção civil. Acompanhe a leitura!

As vantagens da impressão 3D na construção civil

Uma das grandes vantagens da impressão tridimensional é a rapidez na fabricação e montagem de peças. 

Visto que a maioria dos projetos de construção civil utilizam os mesmos materiais, como o concreto, ferro e aço, a alteração se dá na forma como é feito a montagem, no caso das impressoras 3D, com a sobreposição de camadas.

Sendo assim, o mesmo projeto é dividido em várias etapas, começando de baixo para cima e, posteriormente, temos a materialização por meio das camadas. Ou seja, é possível confeccionar protótipos, mas também produtos inteiros, que irão compor uma edificação.

A fabricação de peças com a impressora 3D é bastante simples. Em geral, o desenho é feito em um software digital, salvo no formato adequado e, em seguida, enviado à impressora. Por meio de um programa de leitura, a impressão se inicia.

Ou seja, se a intenção é produzir calhas galvanizadas para telhados, é possível desenhar um projeto piloto e imprimir em 3D, verificando todos os detalhes do produto, para depois iniciar a fabricação.

Portanto, outra vantagem desse modelo de trabalho e desenvolvimento de protótipos é a diminuição de erros, já que é possível verificar todas as especificações da peça antes de enviar para a produção.

Com o maior nível de detalhamento, também é possível produzir artigos personalizados, sendo mais fácil o desenvolvimento de projetos únicos, que por vezes são requisitados por um escritório de engenharia civil.

Entre outras vantagens da impressora 3D na construção civil, destacam-se:

  • Redução de custos com perdas de materiais;
  • Redução do tempo da obra;
  • Redução de erros humanos durante a fabricação;
  • Maior liberdade na produção do projeto;
  • Desenvolvimento de projetos mais sustentáveis.

A automatização dos processos construtivos com impressoras 3D ajuda a fazer mais em menos tempo. 

Afinal de contas, além da rapidez no desenvolvimento de produtos em camadas sobrepostas, a impressão utiliza até 90% do material, reduzindo o desperdício de matéria-prima.

Para termos uma ideia, o tempo gasto em média para uma impressora 3D produzir uma laje treliçada de 5 centímetros de altura é de 25 minutos. 

Importante lembrar, que o valor estimado de impressão pode variar conforme o tamanho e o tipo de material usado. 

Como a impressão 3D ajuda no desenvolvimento global

Diante de todas as vantagens das impressoras 3D, especialmente como auxiliar no processo de desenvolvimento de produtos, como em protótipos tubos e conexões galvanizadas, de uma maneira muito mais rápida e barata, é possível oferecer mais moradias, contribuindo para a redução do déficit de moradias.

Entretanto, é preciso destacar que o investimento inicial em um equipamento de impressão 3D é bastante alto, o que afasta esse tipo de produção no mercado de construção civil brasileiro. 

Além disso, é preciso de colaboradores qualificados para operação e manutenção dos maquinários.

Mesmo assim, alguns segmentos já consideram o investimento na impressão 3D, visto que o retorno é muito positivo e, mais do que isso, é possível produzir mais por menos. 

Além disso, há a dificuldade logística de transportar as impressoras 3D até um canteiro de obras, para viabilidade do projeto. Todavia, há uma grande pressão internacional para que o mercado de construção brasileiro se aprofunde no uso da tecnologia.

Nos Estados Unidos, por exemplo, uma empresa norte-americana desenvolveu uma máquina de impressão tridimensional com capacidade para imprimir uma casa inteira, de  38m² por menos de 10 mil dólares, com durabilidade estimada de 50 anos.

Ou seja, as impressoras 3D permitem a produção em larga escala de casas populares, contribuindo para o desenvolvimento global.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, também nos EUA, desenvolveram um processo de impressão chamado “contour crafting”, em que a impressora se movimenta sobre os trilhos e usa o concreto para produzir modelos de paredes internas e externas.

Mas além da construção de casas, as impressoras 3D também ajudam no desenvolvimento de componentes para o mercado civil, fabricando desde maquetes, até tubulações e peças inteiras. 

Em alguns casos, é possível produzir não só os materiais usados na obra, mas também instalações elétricas prediais inteiras.

O próprio desenvolvimento de maquetes, muito comum para ilustrar empreendimentos de todos os tipos, tinha como principal desvantagem o alto custo de produção e tempo. 

Mas com o avanço da impressão tridimensional, a fabricação desses projetos ficou muito mais fácil e barata.

Dessa forma, as maquetes podem ser usadas para fazer miniaturas das construções, tornando a apresentação dos projetos muito mais simples e eficiente.

Vale dizer que a impressão tridimensional de maquetes, bem como de protótipos, também é usada como material didático em faculdades, cursos de modelagem e outros aprendizados dentro da construção civil.

Isso é bastante útil, uma vez que permite uma visualização palpável de todas as características geométricas, bem como dos detalhes do empreendimento e do projeto, sendo mais fácil verificar quando há interferências e propor ferramentas didáticas para solução de problemas estruturais.

Conclusão

A construção civil é um dos mercados mais promissores do mundo, sendo um dos grandes responsáveis pelo PIB (Produto Interno Bruto) dos países, geração de emprego e movimentação da economia.

Mas além de tudo isso, o ramo da construção também tem sido alvo de novas tecnologias, como é o caso da impressão tridimensional, que utiliza técnicas de desenvolvimento de desenhos virtuais em softwares, com a fabricação de produtos em sobreposição de camadas.

Essa tecnologia de impressoras 3D é amplamente utilizada por diversos setores, como a medicina e odontologia. 

Mais recentemente, as suas vantagens têm sido muito visadas no mercado da construção, especialmente pela redução de custos e desenvolvimento global.

Por esse motivo, há boas perspectivas para as impressoras 3D no futuro, não só na construção civil, mas na popularização do equipamento para toda a sociedade.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave a Reply