Como você pode se manter produtivo durante a pandemia? Veja dicas

Se tem algo realmente imprevisível, e pelo que ninguém esperava passar em pleno século XXI, é a pandemia que se espalhou pelo mundo nos últimos meses. Cujos impactos, aliás, vão muito além da vida profissional ou financeira.

É exatamente aí que está o ponto. Uma coisa é falar sobre carreira, produtividade, projetos e expectativas em momentos normais. Outra bem diferente é tratar disso tudo no contexto de uma doença que já ocasionou mais de um milhão de óbitos no mundo todo.

Naturalmente, juízos precipitados como “procrastinação”, “falta de organização” ou mesmo “preguiça” simplesmente não se encaixam em cenários assim. Pelo contrário, os quadros de ansiedade, angústia e até depressão é que acabam tomando a frente.

O primeiro impacto mais óbvio é o da perda das pessoas que não resistiram à doença. Junto disso, o medo sobre como vai ser o amanhã, já que embora o grupo de risco seja restrito, potencialmente ela é uma ameaça para qualquer pessoa, sem distinções.

Depois desses pontos que impactam na saúde mental, tem a própria questão da saúde física, que também acaba comprometida já que nosso estilo de vida acabou mudando drasticamente em situação de recolhimento, isolamento e quarentena.

Além de tudo isso é que surge a questão do trabalho e da produtividade. Como é sabido, algumas atividades foram classificadas como urgentes ou indispensáveis, então esses profissionais continuaram atuando presencialmente.

Noutros casos, a solução de certas empresas foi impactada positivamente pela crise, como no caso do marketing digital, ou mesmo de um técnico em eletrotécnica EAD, já que esses nichos passaram a ter uma procura maior.

Outros empregos, porém, especialmente da iniciativa privada, puderam se adaptar e passaram a acontecer sob novas modalidades, como o home office, que é o trabalho em casa (ou, originalmente, trabalho à distância).

Este artigo é voltado especialmente para esse público, embora também possa ter dicas válidas para qualquer outro profissional que se sinta oprimido pelo momento atual, a ponto de isso impactar negativamente em sua produtividade.

Então, se você quer compreender melhor essa situação e colocar as coisas de volta no lugar, mantendo ou recuperando sua performance, é só seguir adiante na leitura e aproveitar essas dicas especiais.

Qual o primeiro passo para lidar com tudo isso?

O primeiro desafio é a verbalização, ou seja, o esforço de definir objetivamente o que está acontecendo. É mais ou menos como uma terapia, só que você pode fazer sozinho ou com alguém de sua confiança.

Imagine se você trabalha com a área de instalação de cerca elétrica residencial, e de repente a demanda cai incrivelmente e você vê sua renda familiar ser diretamente impactada. É claro que isso vai gerar desgaste e estresse.

Porém, se você não conseguir definir claramente o problema, como sendo “falta de clientes”, ou ainda “incapacidade temporária de exercer minha atividade principal”, isso vai ficar atormentado você e vai gerar outros problemas.

Com o tempo, é possível que você fique tão estressado que não apenas desconte nos demais com quem convive, mas se esqueça da origem real do problema. Então é preciso definir tudo, se preciso colocando no papel, como em um diário.

Depois, é hora de atacar o problema. Se a produtividade foi impedida na área de cercas, por exemplo, talvez seja possível fazer algo temporário em infraestrutura de rede, já que o serviço é interno e, em alguns casos, indispensável.

Como vimos acima, nem todos os setores foram impactados, então a criatividade pode ajudar a encontrar uma solução temporária, assim você não fica no ócio total, consegue uma atividade e sua produtividade pessoal permanece.

Profissionalização e ambiente home office

Outra saída interessante é buscar se manter ocupado com qualquer atividade que seja. Em alguns casos os funcionários continuaram recebendo sua renda, embora não pudessem exercer o cargo, além de alguns terem recebido auxílios do governo.

Então, que tal buscar um curso online? As opções vão desde algo profissionalizante, como customizar camisetas poliamida corrida personalizada, até reciclagem da sua própria área de atuação, ou mesmo o aprendizado de uma nova língua.

Seja como for, no fim de tudo isso você vai ter adquirido novos conhecimentos e habilidades, que depois podem melhorar sua colocação na empresa ou no mercado. Nessa mesma linha de algo para fazer em casa, é preciso falar do home office.

Se a sua atividade principal for feita em casa, então sua rotina de trabalho não mudou muito, apenas o ambiente. Em alguns casos, porém, trabalhar em casa pode resultar em uma carga horária ainda mais pesada, então a disciplina é tudo.

Se seu parceiro ou parceira também está em casa, é preciso dividir o espaço, ou mesmo se existem crianças, idosos e demais dependentes. Então é preciso investir na comunicação e deixar claro que, embora em casa, todos têm seu papel e suas funções.

O seu segmento não muda muito na situação, se você atua como RH de uma multinacional ou como designer de um site de tinta acrilica premium branca, o esforço vai ser praticamente o mesmo, pois o desafio está na rotina.

Então uma dica de ouro é separar o local de trabalho do local de descanso/lazer. Acorde, troque de roupa exatamente como se fosse sair de casa, e não atue no sofá, muito menos na cama, mas numa mesa ou, se possível, numa estação de trabalho mesmo.

Também assim, agora o almoço depende de vocês, bem como saber a hora de começar e de parar. Então é preciso pensar como dono, como se você fosse o patrão. Outra dica é saber fazer pausas, descansar e investir na famosa “descompressão”.

Sobre agenda, exercícios físicos e vida pessoal

Se a sua produtividade precisa aumentar em modalidade home office, há várias outras dicas que podem ajudar na hora de desenhar uma agenda diária que seja realmente eficiente. A primeira delas, aliás, é a da própria agenda.

Trata-se de dividir o dia em etapas, de modo que você não comece cada manhã sem saber para onde exatamente está indo. Se você trabalhasse numa fábrica de uniforme profissional, qual seria sua rotina, desde a chegada até a saída?

Pense nisso. Pautar-se na refeição é uma boa, assim a agenda ficaria do seguinte modo:

  • Café da manhã;
  • Almoço;
  • Café da tarde;
  • Jantar.

De modo que a rotina acabaria antes do jantar, e você não ficaria trabalhando depois do horário. Outro modo de fazer isso, já que em casa a tendência é você ficar mais tempo sentado diante do computador, são as atividades físicas.

Em algumas regiões é possível caminhar e até se exercitar. Pois saiba que se você fizer exercícios leves de manhã ou de noite, ou mesmo uma simples caminhada após o almoço, não apenas seu corpo sentirá a melhora, mas também a disposição geral.

Além disso, naquelas empresas que viram a demanda aumentar, como quem faz locação de desktop, isso tem exigido reuniões, videoconferência e participação constante dos funcionários. Mas até isso teve ou pode ter seu ponto construtivo.

É que esse mesmo formato pode ser usado na vida pessoal. Assim você tira um tempo para fazer videochamadas com seus amigos ou parentes, já que isso também alivia a tensão.

Recentemente, surgiram até plataformas de jogos e entretenimento que podem ser praticados por grupos de amigos. Muitas vezes até a empresa indica esse tipo de atividade, sabendo que ela pode ajudar na produtividade do funcionário.

O papel dos hobbys e dos cursos livres

Já que falamos sobre vida pessoal, também é possível conciliar outras atividades que não são voltadas diretamente para a atividade profissional, mas que impactam positivamente.

Já falamos dos cursos profissionalizantes e de línguas. Mas se for o caso você pode se dar o direito de fazer algo que já vinha pensando, como um hobby mesmo: cursos de violão, de piano, de gastronomia e até de artes marciais.

Tudo isso tem sido adaptado para o distanciamento social. Em outros casos, simplesmente colocar a leitura em dia, puxar uma almofada de pescoço e ler algo do seu interesse já pode ser o suficiente para manter a mente ativa.

Certamente isso também vai impactar na sua produtividade e no seu equilíbrio.

Bônus: quando é hora de procurar ajuda?

Não é segredo para ninguém que, no nosso formato atual de vida, a ansiedade logo se tornou o que foi chamado de “mal do século”.

Isso vale especialmente para quem mora nas metrópoles. Ademais, a pandemia acabou agravando isso ainda mais, então o risco de quadros clínicos é maior.

A simples ansiedade se diferencia facilmente de um quadro clínico: se ela chega ao ponto da angústia excessiva, do bloqueio ou mesmo da depressão, que é a dificuldade de ver sentido nas atividades mais simples do dia, fique atento.

Aqui valem, novamente, as dicas sobre verbalização e sobre pedir conselho aos conhecidos. Se for o caso, o próximo passo é buscar a ajuda de um profissional. Não há nada de errado nisso, e a telemedicina também tem facilitado essa parte.

Com isso, vemos como é possível manter a produtividade e a alta performance durante a pandemia, seja de maneiras direta ou indiretamente ligadas ao trabalho.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave a Reply