Automação residencial: o futuro em sua casa

A automação residencial é vista como a nova tendência do mercado de imóveis. Com a evolução tecnológica, em conjunto com a ampliação da conectividade, cada vez mais pessoas estão investindo em projetos arquitetônicos futurísticos, que incluem o uso de sensores, equipamentos com inteligência artificial e sistemas inteligentes.

Aliás, estima-se que o mercado de automação residencial tenha um crescimento de 12,5% nos próximos anos, movimentando cerca de US$ 78 bilhões até 2022, segundo pesquisas realizadas por empresas na área e dados da Associação Brasileira de Automação Residencial (Aureside).

Só no Brasil, mais de 300 mil lares contam com essa tecnologia em suas casas, com perspectivas para ampliação desse número para os próximos anos – tanto em projeto arquitetônico residencial que já inclui a automação residencial na construção, quanto casas que incorporam a inovação durante a reforma.

Além disso, em um futuro próximo, a automação residencial será imprescindível na economia de energia, na valorização dos imóveis e para a vida das pessoas que prezam por conforto e praticidade.

O artigo de hoje vai falar mais sobre a automação residencial e como ter o futuro dentro de casa. Acompanhe a leitura!

Mas o que é a automação residencial?

A automação residencial consiste na aplicação de tecnologias dentro de casa, com o intuito de facilitar tarefas cotidianas, que antes dependiam somente do morador. 

Desse modo, é possível controlar dispositivos remotamente, facilitando a execução de certas atividades domésticas.

Nesse sentido, todos os sistemas eletrônicos funcionam de modo integrado, com funcionamento personalizado conforme os hábitos, necessidades e gostos dos moradores.

O conceito da automação residencial surgiu em meados da década de 1970, nos Estados Unidos, quando os primeiros sistemas automatizados de controle foram criados para as aplicações industriais.

De lá pra cá, o projeto de automação residencial passou por vários aprimoramentos e, hoje, já é possível controlar eletrodomésticos por meio de dispositivos móveis, como tablets, celulares e smartphones.

A cada ano, novas soluções são lançadas no mercado de tecnologia, acompanhando as principais tendências de consumo mundial, para oferecer o máximo de conforto, segurança e praticidade aos moradores.

Diante dessa evolução tecnológica, atualmente qualquer equipamento que possa ser ligado a um cabeamento de rede pode ser incorporado à automação residencial, como sensores de segurança, portões, aparelhos de climatização, iluminação, entre outros.

Quais as vantagens da automação residencial?

Não apenas a comodidade e o conforto ganham destaque na automação residencial. Além desses fatores, os sistemas inteligentes também são capazes de oferecer muitos benefícios, incluindo o controle de gastos e a contribuição com ações sustentáveis.

Abaixo, confira as principais vantagens da automação residencial.

1 – Segurança

A segurança é um dos pontos mais importantes da automação residencial. Aliás, muitas pessoas investem no sistema justamente por se sentirem mais seguras e protegidas dentro de casa, já que é possível ter um sistema de monitoramento residencial completo.

Dessa maneira, mesmo longe da residência, os moradores conseguem visualizar o que está ocorrendo dentro e fora da propriedade, através de aplicativos e câmeras integradas à rede de monitoramento.

Além disso, existem sensores altamente tecnológicos, que podem ser colocados na porta de casa, que registram os horários de entrada e saída de pessoas. 

Isso é ótimo para quem tem filhos adolescentes, para que os pais possam descobrir quando eles chegaram e se realmente estão em casa.

A instalação de câmeras de segurança ao redor da residência também é uma maneira de prevenir a ação de bandidos e assaltantes, que se sentem intimidados com a presença desses dispositivos, visto que a tecnologia ajuda na identificação dos responsáveis por atos criminosos.

Inclusive, esse sistema é bem comum em empresas e escritórios, sendo implantado conjuntamente com serviços de portaria inteligente, para controle de entrada e saída de pessoas autorizadas.

2 – Comodidade

Com a automação residencial, é possível acender uma luz e controlar a temperatura do ambiente com um único controle. 

Além disso, tarefas como a irrigação do jardim, acendimento de lareiras, entre outras atividades cotidianas podem ser programadas para horários específicos, conforme a rotina dos moradores.

Visto que todos os sistemas são integrados, não é preciso ficar refém de inúmeros controles remotos, um para cada aparelho. 

Afinal de contas, por meio de aplicativos conectados aos smartphones dos residentes, é possível controlar todos os equipamentos dentro de casa.

Ademais, o sistema de detecção e alarme de incêndio, por exemplo, também pode ser programado diretamente pelos aplicativos móveis, trazendo maior conforto, comodidade e segurança às pessoas.

E mais: com a recente Internet das Coisas (IoT), é possível programar o GPS do carro ou celular para que, ao se aproximar de sua casa, alguns aparelhos já possam ser ligados, como a cafeteira para preparar o café, a climatização do ambiente, etc.

3 – Economia de energia elétrica

A automação residencial conta com alguns dispositivos capazes de gerenciar o consumo de energia elétrica de uma residência. 

Dessa forma, é possível detectar onde estão os maiores gastos e programar o uso racional da eletricidade, algo que colabora para a significativa redução das contas de energia.

Entre as opções de racionamento, destacam-se as tarefas de apagar as lâmpadas automaticamente, controlar o ar condicionado, desligar aparelhos que não estão sendo usados, entre outras medidas simples, mas que agregam muito na diminuição dos custos de energia elétrica no final do mês.

Vale dizer que, além de reduzir custos, a diminuição do consumo de eletricidade também é uma medida sustentável, pois evita o desperdício de energia elétrica gerada, colaborando para impedir uma crise energética.

A automação residencial pode, por exemplo, comandar todo o desligamento dos equipamentos e eletrodomésticos da sua casa durante uma viagem, apenas com a leitura da impressão digital do morador.

Assim, ao chegar à residência, é possível enviar um comando e acionar novamente todos os aparelhos, bem como luzes da garagem e já deixar o ar-condicionado ligado, na temperatura ideal.

O que levar em conta para automatizar a sua casa?

Com tantos benefícios, era de se esperar que a automação residencial ganhasse notoriedade e se expandisse para inúmeras residências de todo o mundo. 

No entanto, muitas pessoas têm dúvidas do que automatizar, diante da grande disponibilidade de dispositivos tecnológicos.

Em geral, o primeiro passo é verificar quais são as necessidades de cada morador. Afinal de contas, o projeto de automação deve ser personalizado. 

Ou seja, não adianta nada implantar uma alta tecnologia de detecção de focos de incêndio, por exemplo, se a sua casa tem pouco ou nenhum risco de propagação de fogo.

Ou então, investir em um sistema de segurança para adolescentes, mas na sua casa somente moram pessoas adultas. Portanto, verifique as tecnologias que realmente impactam positivamente na segurança e comodidade dos moradores.

Entre os principais tipos de automação residencial, destacam-se:

  • Automação da lâmpadas e controle da iluminação;
  • Automação do sistema de som e imagem;
  • Automação dos aparelhos de climatização ambiente;
  • Automação e controle dos sistemas de segurança;
  • Automação dos sistemas de prevenção contra incêndio;
  • Automação dos sistemas de irrigação dos jardins.

A biometria também é uma forte tendência de automação. Assim, por meio da leitura da impressão digital dos moradores, é possível dispensar o uso de chaves, além de ser um sistema muito mais seguro contra a ação de invasores e pessoas mal-intencionadas.

Hoje em dia, os arquitetos e engenheiros civis buscam cada vez mais a aplicação das tecnologias da automação residencial, em projetos personalizados, de acordo com os gostos e preferências dos moradores. 

Além disso, tudo é pensado para que os sistemas funcionem de maneira harmoniosa, funcional e produtiva, para oferecer o máximo de apoio em atividades cotidianas.

Importante destacar que o preço para investir em automação residencial também irá variar, conforme o projeto e o tipo de tecnologia instalada na sua casa. 

Além disso, os valores também irão depender dos dispositivos que já se encontram dentro da sua residência, bem como os aparelhos móveis disponíveis para o controle dos sistemas.

Conclusão

Parece algo de ficção científica, mas a automação residencial é algo muito mais próximo da realidade. 

O mercado está em ascensão, com boas estimativas para os anos seguintes, especialmente em relação aos sistemas de segurança, que permitem a verificação do que ocorre no exterior e interior da casa.

Além do mais, em um mundo cada vez mais conectado, em conjunto com uma rotina corrida, a automação residencial logo irá se tornar uma necessidade para todas as pessoas que desejam aproveitar melhor o tempo livre e ter mais momentos de diversão com a família.

Desse modo, por meio de softwares inteligentes e uma tecnologia de ponta, as tarefas diárias poderão ser realizadas de modo automatizado, bem como controladas por um único dispositivo, como o smartphone do próprio morador.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leave a Reply